Governo de Pernambuco faz balanço positivo da primeira semana da Operação Prontidão

As ações continuarão em todo o Estado, assim como o Gabinete de Crise e os Escritórios locais, que atuarão nos meses de junho e julho
 
O governador Paulo Câmara divulgou, nesta segunda-feira (05.06), a primeira avaliação geral das ações da Operação Prontidão no enfrentamento do impacto das enchentes que deixaram 27 municípios da Mata Sul e do Agreste em estado de Emergência. Na ocasião, no Palácio do Campo das Princesas, o governador, junto com o secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni, destacou, entre outros pontos, a rápida mobilização do Governo de Pernambuco para salvar vidas, o importante papel do Gabinete de Crise e a eficácia da Barragem de Serro Azul. O governador também destacou a disponibilidade, devido ao controle orçamentário, da liberação imediata de R$ 24 milhões para que a Defesa Civil atuasse na assistência às mais de 46 mil pessoas desabrigadas e desalojadas.
 
“Atuamos na primeira semana para salvar vidas, buscar normalizar os serviços de água, de luz e, também, realizar a limpeza das cidades. Agora, vamos fazer o levantamento dos danos e, ao mesmo tempo, buscar alternativas em relação às pessoas que estão desabrigadas ou desalojadas”, afirmou o governador Paulo Câmara. Ele destacou que a Operação Prontidão continuará durante todo o período chuvoso, uma vez que este está apenas começando. “A Operação continuará em todo o Estado, assim como o Gabinete de Crise e os Escritórios locais, que atuarão nos meses de junho e julho”, assegurou Paulo.
 
O secretário Márcio Stefanni, que comandou a apresentação do balanço da Operação Prontidão, explicou que, durante as enchentes de 2010, em três dias, choveu 180 milímetros (mm). Enquanto isso, em 2017, somente em dois dias, choveu o equivalente a 140 mm. “As chuvas deste ano foram bem mais concentradas, provando que estávamos preparados. Embora a chuva tenha tido um volume maior, a ação do Governo de Pernambuco foi mais rápida”, pontuou Stefanni, reforçando a eficácia da Barragem de Serro Azul, que conteve 50% das águas. “Antes das chuvas, Serro Azul tinha 13 milhões de metros cúbicos (m³). Hoje, ela está com 89 milhões de m³”, destacou. A capacidade total da barragem é de 303 milhões de m³.
 
Stefanni também ressaltou uma das primeiras ações do governador Paulo Câmara no enfrentamento das chuvas: a instalação do Gabinete de Crise no Palácio do Campo das Princesas. O equipamento foi implementado para planejar as ações e realizar o monitoramento em tempo integral das cidades atingidas. Além disso, Stefanni ressaltou a convocação, por parte do governador, de todo o secretariado para atuar na coordenação de Escritórios Locais em 17 municípios em situação de Emergência. “Também é importante destacar o emprego de duas aeronaves do Estado e três das Forças Armadas e a atuação de 230 militares na Mata Sul e no Agreste”, acrescentou.
 
Ao todo, 121 Escolas municipais estão sem condições de uso, 52 rodovias foram danificadas (totalizando 1.550 quilômetros) e 244 pontes e passagens deterioradas. “No entanto, nenhuma ponte que foi reconstruída durante a Operação Construção, em 2010, foi danificada”, resgistrou Stefanni. Também foram contabilizadas 498 habitações destruídas e 6.841 danificadas, deixando 3.171 pessoas desabrigadas e outras 43.531 desalojadas. Para tentar minimizar esses prejuízos, o secretário de Planejamento e Gestão anunciou que o Governo de Pernambuco está realizando o mapeamento das vítimas das enchentes que estão desabrigadas.
 
A iniciativa visa cadastrar essas pessoas para oferecer auxílio social e de moradia. Neste primeiro momento, o cadastro será realizado entre os desabrigados (que perderam suas casas) em 16 dos 27 municípios em estado de Emergência. As pessoas que estão desalojadas serão mapeadas em um outro momento. O cadastramento será realizado pela empresa URJA, que trabalhou em parceria com o Governo do Estado em 2010, quando vários municípios também foram afetados pelas chuvas.
 
Após o cadastramento, uma nova etapa será realizada. O Governo de Pernambuco irá fazer o cruzamento de dados com o Governo Federal para saber se as vítimas das enchentes mapeadas estão ou não inseridas em algum programa social como, por exemplo, o Bolsa Família. Em seguida, o Estado realizará o georreferenciamento. A ação propõe que cada morador registre, em foto, seu rosto e a frente da própria casa. Essa medida funcionará como segurança para que todos os atingidos sejam beneficiados. A conclusão dessas etapas gerará, para cada vítima cadastrada, um dossiê individual, com o qual os governos Estadual e Federal poderão planejar e articular a construção de moradias e oferta de inclusão em programas sociais.
 
Para reforçar a assistência à saúde da população, foi instalado pelo Exército o Hospital de Campanha no município de Rio Formoso diante dos danos causados ao hospital da cidade. O equipamento das Forças Armadas realiza 150 atendimentos e cerca de 70 procedimentos diariamente. Diante da perda no estoque de vacinas, o Governo de Pernambuco já enviou um total de 11.448 doses de vacinas para reforçar os estoques dos municípios atingidos. “Mesmo diante do grande volume de chuvas, nenhum surto de leptospirose foi causado”, salientou Márcio Stefanni.
 
Ainda no esforço de atenuar os danos da população, o Governo do Estado anunciou a postergação do pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos comerciantes atingidos pelas enchentes; o cancelamento da cobrança de contas de fornecimento de água; e a antecipação do pagamento do Programa Chapéu de Palha – Cana de Açúcar e Pesca Artesanal. Para esta ação, a primeira parcela será paga nesta terça-feira (06.06) e a segunda parcela no próximo dia 17.
 
Até o momento, o Governo de Pernambuco enviou 7.705 kit’s dormitório e 6.255 colchões para atendimento humanitário. O Estado também distribuiu 117.600 metros quadrados (m²) de lonas; 140,8 toneladas de alimentos; 138.924 litros de água; 6.040 kits de limpeza e 62,7 toneladas de roupas. A Coca-cola doou 25 mil litros de água, a Celpe 500 geladeiras, a Brasil Kirin uma carreta de água, a Tupan 200 botas galocha e a Unilever kits de limpeza. Além disso, os reeducandos do Estado iniciaram a produção de cerca de 11 mil pães por dia para serem distribuídos nos municípios.

Compartilhe: