Os desafios das gestões municipais e o planejamento urbano são destaque no 4º Congresso Pernambucano de Municípios

Jadiewerton Tavares

Fotos: Claudio Gomes

Durante a quarta edição do Congresso Pernambucano de Municípios, foi discutida a importância do planejamento estratégico por parte dos gestores municipais. Entre os desafios impostos pelos municípios, suas necessidades e as próprias mudanças comuns a qualquer cidade.

No início da tarde foi realizada a primeira palestra magna dessa terça feira. Com a presença do Presidente da AMUPE, José Patriota e os secretários da Confederação Nacional de Municípios, Gustavo Cesário e Eduardo Tabosa. Patriota Iniciou a mesa destacando os 50 anos da Associação Municipalista de Pernambuco, completados neste ano. Além disso o dirigente ressaltou o mote da edição 2017 do Congresso: A cidade que precisamos.

O primeiro convidado a assumir o microfone foi o Secretário Executivo da CNM, Gustavo Cesário, que explicou o quanto é importante o funcionamento de gestões íntegras e que sejam pautadas sob responsabilidade social. Além disso Cesário citou o papel da economia no controle e otimização dos gastos públicos. O Secretário também aproveitou para criticar os constantes atrasos e reduções nos repasses de recursos para as cidades por parte do governo federal. Outro ponto colocado por ele foi a necessidade de maior flexibilidade nos consórcios público x privado realizados entre municípios ao longo do território brasileiro. A judicialização dentro das administrações das cidades também foi colocada como essencial para o melhor funcionamento das mesmas, sendo assim, Gustavo também aproveitou para enumerar algumas ações que interferem diretamente no funcionamento dos municípios e da própria CNM: o veto do ISS, a redução de dívidas previdenciárias das cidades e a própria reforma da previdência, esta última tendo maior destaque devido as recentes propostas de reforma vindas do governo federal. Gustavo Cesário encerrou sua participação fazendo votos de uma agenda municipal forte e atuante.

O ex prefeito de Cumaru, Eduardo Tabosa foi o responsável por encerrar a primeira palestra magna. Ele que também faz parte da CNM iniciou dando exemplos sobre seus quatro mandatos como gestor municipal. Eduardo Tabosa deu prioridade a elucidar o aumento de impostos e a proteção de recursos nos municípios, com base no melhor andamento das administrações dos mesmos. Por fim, o secretário Geral da CNM agradeceu pelo convite e fez votos de sucesso ao evento.

Já na segunda a palestra magna intitulada “Planejamento Integrado com Estratégia de transformação Urbana”, foi possível conferir exemplos eficazes de gestão de cidades e soluções de consultoria urbana. Presidindo a mesa, esteve presente o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo, Roberto Montezuma, o consultor de recuperação de áreas degradadas de Medelín/Colômbia, Gustavo Restrepo, e o arquiteto e urbanista Francisco Cunha.

Montezuma evidenciou o mote “pensar Global, atuar local” tão difundido no contexto administrativo público. O panorama atual das ações do CAU assim como a inovação urbana nas cidades também foram foco da participação do presidente do Conselho, tendo as cidades Belo Jardim, Petrolina e a própria capital Pernambucana como protótipos dessas inovações. Montezuma levantou para o público presente no Teatro Guararapes, as diferenças e peculiaridades entre uma cidade e outra. A participação do Presidente do CAU foi concluída com o reforço de que “a mudança na cidade mudam o país”.

Dentre as participações na palestra magna, a mais esperada foi a do Consultor em áreas degradadas da cidade Colombiana de Medelín, Gustavo Restrepo, que escolheu evidenciar a educação dos cidadãos como promotores de transformações urbanas. Restrepo expôs dois exemplos de cidades colombianas que receberam ações que permitiram novas configurações administrativas: Córdoba e Medelín. Para os dois municípios o consultor detalhou profundamente as ações de soluções urbanas a curto, médio e longo prazo que foram implantadas e que acarretaram em mudanças profundas em diversas áreas correlatas tais como lazer, cultura, mobilidade e segurança.

Para encerrar a primeira tarde do 4º Congresso Pernambucano de Municípios, o consultor e arquiteto Francisco Cunha fez um levantamento das ações e efetuadas pela TGI- Consultoria e Gestão, empresa da qual é sócio fundador. Além disso Cunha ainda expôs a atual situação do cenário urbano local, seja com relação a especulação imobiliária ou sobre as possibilidades de melhoria em toda malha urbana Pernambucana.

Compartilhe: