CNM passa a divulgar informativo sobre o mercado de trabalho no campo; confira a primeira edição

24 de outubro de 2023

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) ampliou o recorte divulgado no Informativo CNM que traz atualizações mensais do Mercado de Trabalho. Além da avaliação do desempenho do emprego com carteira assinada no comércio, a entidade vai também publicar, de forma separada, a movimentação de oportunidades no campo. A Edição 1/2023 já está disponível na Biblioteca Digital da CNM.

De acordo com o levantamento feito pela Confederação com base na geração de empregos nas atividades agropecuárias no mês de agosto, foram criados 248.920 empregos, enquanto ocorreram 221.499 desligamentos, com saldo positivo de 27.241 postos de trabalho no agro em todo o país. Isso corresponde a 15,5% do saldo de empregos gerados no ano.

Além da agropecuária, as admissões no campo levam em conta os segmentos da agroindústria, agrosserviços e insumos. Nesse contexto, o mês de agosto indicou que a agroindústria garantiu a maior contribuição de novas vagas criadas pelo segundo mês consecutivo. Os setores que tiveram os números mais expressivos foram a fabricação de açúcar em bruto (+10.258 vagas) e cultivo de cana-de-açúcar (+3.752).

Neste ano, lidera a fabricação de álcool (+18.473) seguido do serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita (+11.173). No outro extremo, os setores que mais perderam vagas no mês foram o cultivo de café (-7.982) e o processamento industrial do fumo (-3.971). A produção de sementes certificadas foi a mais impactada (-6.566), seguido da fabricação de cervejas e chopes (-1.026).

Avaliação por região

Os Municípios do Nordeste apresentaram a maior variação mensal (46,3%), puxada pelo aumento das contratações para a produção de açúcar, cana e álcool. No ano, a região Centro – Oeste é a que mais cresce (9,9%). Os maiores percentuais de admissão estão nas regiões Sudeste (35,2%) e Sul (23,3%). O levantamento ainda traz outras informações como, por exemplo, a avaliação por parte populacional e pelo desenvolvimento da agropecuária municipal. Confira aqui a íntegra do estudo.  

 

Da Agência CNM de Notícias


Topo ▲